#Cidadania

Desde 2018 que a CPV participa como parceiro no projeto #Cidadania, coordenado pela Associação Mais Cidadania, e que visa promover a educação para a cidadania através de metodologias de educação-não-formal.

O #Cidadania tem como objetivo promover os espaços de participação jovem para incentivar a iniciativa democrática e a cidadania ativa na esfera pública, social e individual. Com isso, espera-se contribuir para o reconhecimento da cidadania como uma prática de valor acrescentado para a vida dos jovens e para a sociedade envolvente. Para tal, tem-se capacitado jovens e educadores para a cidadania (professores, líderes, técnicos de juventude) para desenvolver nestes espaços ações e conteúdos que assistam à aprendizagem sobre, através, e para a cidadania.

Ao longo dos seus 28 meses de duração (dezembro de 2018 a julho de 2021), o #Cidadania tem promovido o desenvolvimento de campanhas de sensibilização, a participação em iniciativas comunitárias e de voluntariado, e a submissão de propostas ao Orçamento Participativo Jovem.

Neste contexto, enquadra-se o Prémio #CidadaniaJovem, que pretende reconhecer e valorizar o envolvimento cívico dos jovens e a sua participação ativa na comunidade. O Prémio #CidadaniaJovem destina-se a jovens com idades compreendidas entre os 13 e os 25 anos, residentes em Portugal, podendo os mesmos candidatar-se individualmente ou em grupo (até 4 participantes). O Prémio #CidadaniaJovem contou com duas edições, de 2020 e 2021, esperando-se uma terceira em 2022.

Os parceiros deste projeto, coordenado pela Associação Mais Cidadania, são a Confederação Portuguesa do Voluntariado, Human Rights Academy da Noruega, Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), Escola Profissional Bento de Jesus Caraça – Delegação de Lisboa e do Barreiro, Associação Percursos – Ensino e Formação Profissional, e o Agrupamento Vertical de Escolas Baixo-Chiado.

Este projeto está enquadrado no programa Cidadãos Ativ@s, uma componente dos EEA Grants que visa apoiar organizações não governamentais. O programa é financiado pela Islândia, Liechtenstein e Noruega, e é gerido em Portugal pela Fundação Calouste Gulbenkian em consórcio com a Fundação Bissaya Barreto.

Mais informações aqui.